Representai bem o papel de homem nov16

Representai bem o papel de homem

Não há nada mais frustrante, deprimente, desolador e vergonhoso do que a inação, a indolência, a preguiça, esses poderosos combustíveis geradores de pobreza e mediocridade. Quando os cristãos puseram a Preguiça entre os Sete Pecados Capitais ao lado da Luxúria, Ira, Gula, Soberba, Inveja e Avareza, eles sabiam o que estavam fazendo. Ao convivermos, enfrentamos ambientes em que o desleixo, a indolência, a ociosidade e, principalmente, a indiferença predominam – dão o “tom da música” –, sentimo-nos pequenos, fracos, desolados, despidos e entristecidos diante da ausência do espírito que deveria impregnar todo ser humano:...

José Mayer e a Luxúria abr10

José Mayer e a Luxúria

Se José Mayer tivesse lido o soneto 129 de Shakespeare, saberia que “A luxúria é perjura, assassina, sanguinária, culpada, selvagem, extrema, rude, cruel e desleal”. “Que é uma isca lançada para enlouquecer a presa”. E que “depois de desfrutada é desprezada e esquecida”. E que, finalmente, pode “conduzir ao inferno”. Ou seja, o inferno astral que ele está vivendo hoje e do qual vai demorar um bocado para sair. Talvez não devesse falar mais do caso José Mayer, vítima da luxúria, a “concupiscência da carne”, para usar uma expressão de Shakespeare, já que não é bom alardear ou tripudiar sobre as desgraças...