Ocidente Decadente

Se você ainda não pintou os dentes, colocou silicone nos seios, nádegas ou pernas, pôs botox no rosto, piercing em algum lugar do corpo, ou fez tatuagem, então você precisa se reciclar, você está fora de moda, e no dizer – inocente – do rei Roberto Carlos, nos anos 60, “você está ficando démodé”! Pois saiba que a estupidez cosmética tomou conta da sociedade. O deserto de ideias, a falta de amor e união, a força da tecnologia, o desespero inconsciente que tomou conta do ocidente, estão obrigando as pessoas a modificarem seus corpos para cobrir sua nudez existencial.

 

Isso é exposto nas Redes Sociais, a praga dos tempos, uma maré, um trem desgovernado, que está atropelando tudo, espalhando loucuras de forma rápida como rastilho de pólvora, trazendo novidades que ninguém consegue controlar. Dá para suportar o país discutir a centésima tatuagem do “menino” Neymar e suas quedas? Como festejar um jogador que transformou o outrora glorioso futebol brasileiro em motivo de chacota mundial! Esse rapaz ocupa um quinto do tempo da imprensa brasileira. Transformado em celebridade nacional, você é obrigado a contemplá-lo e encarar sua obtusidade o tempo todo. Neymar é apenas o ícone, o símbolo dessa desordem toda. Trata-se de um circo de horrores! Assim, a mentira é pregada na teia mundial, nas redes – talvez o termo Rede tenha a ver com enredar, enrolar… Ou seja, transformar todos em meros escravos da mídia. Noventa por cento das pessoas não têm a menor ideia do que estão fazendo, e seguem qualquer coisa que as Redes lhes dizem.

 

Assim, preenchem seus corpos e mentes com lixo, simplesmente porque essa é a moda, “Esse ladrão disforme” como a chamava Shakespeare! A realidade está sendo distorcida o tempo todo, e  criando discípulos de Goebels, que estão se multiplicando da mesma forma que os nazistas na Alemanha após 1933, aos milhões. Eles estão martelando perversões de forma tão aguda, que nem mesmo as velhas gerações nascidas nos anos 50 e 60 estão escapando da lavagem cerebral coletiva. Está surgindo uma sociedade cosmética uniforme, cuja principal característica é a agressão corporal e o esvaziamento da mente. A profunda fragmentação de suas almas e mentes pode ser vista e lida nos corpos dessas pessoas.

 

Tudo está confundido, misturado, e os espertalhões que controlam a enorme massa que absorve os vapores da enrolação estão cada vez mais poderosos, satisfeitos e ricos. Riem das facilidades de como ficou fácil controlar mentes frágeis, que apenas respondem aos estímulos que recebem por intermédio do poder esmagador da mídia. O mundo está sendo dominado por idiotas!

 

Tudo indica que esse deslocamento de poder para o Oriente: Coréia, China, tigres asiáticos e o ocidentalizado Japão esteja levando partes do ocidente ao desespero. Como que a Democracia, essa grande conquista de apenas dois séculos, muito embora só consolidada verdadeiramente após o cataclisma de 1945, esteja permitindo que isso aconteça? Afirmo categoricamente que parte do ocidente vive uma fase de desespero existencial.

 

Nunca usamos tantas máscaras para esconder nossa pobreza existencial! As modas sempre passaram, mas agora elas estão se transformando numa espécie de vírus em constante mutação, prolongando a doença. Mesmo que os parlamentos nunca tenham feito tantas leis para proteger as pessoas delas mesmas, para tratà-las como indivíduos soberanos, para conceder-lhes direitos que elas nem sempre precisam, e para discutir sua sexualidade, mesmo assim, elas nunca se consideraram tão sozinhas e sem amor, como estão se sentindo agora. “Conversai, e olhai a vossa volta”!

 

E o pior é que o Facebook e congêneres, as Redes, de que já falei aqui, que foram feitos para consolar a todos  não consolam, ao contrário do que se pensava, e muitos já desistiram de continuar tentando – estou ironizando! Porque parece, eu já sabia,  que a melhor forma de se relacionar ainda é aquela primitiva que nossos país e avós faziam, que era paquerar, namorar, noivar, casar, construir e, de certa forma, brigar juntos, tocando um no outro, até fazer as pazes. Curtir e comentar fotos bonitinhas do por do sol no Cristo Redentor, ou em Jericoacoara, sozinho diante do teclado cansa, cansa e entristece. A velha forma de se relacionar era mais satisfatória.

 

Assim, os farsantes e mentirosos, em busca de poder, têm prosperado, apoiados numa gigantesca plataforma montada para impor suas perversões, adotando a velha prática: repetir mil vezes. Se essa turma das redes sociais disser que enrolar um arame farpado no pescoço dá uma sensação de liberdade, podem ter certeza de que a grande massa o fará. Eis o fruto do desespero!

 

Por mais que as palavras sejam distorcidas, eu ainda continuo acreditando no poder dos livros, contidas nessas poucas publicações e obras que ainda trazem verdades estampadas sem empulhações e máscaras. Ainda há esperança!

Lembro que Shakespeare já tinha avisado a todos nós, pela boca de Falstaff: “A virtude é tão pouco apreciada nestes tempos de mercantilismo que o valor se converteu em domador de animais. Os dons que pertencem ao homem, dada a maneira com como a perversidade do século as trata, não valem uma maçã”.

É assim que eu estou vendo as coisas em 2019! E sequer falei de Oswald Spengler e sua obra O Declínio do Ocidente!