Bob Dylan e o Nobel out17

Bob Dylan e o Nobel

Deprimido e desolado – entre outras coisas, pela morte de seu irmão Emil, quando fazia experiência com explosivos – o químico e empresário sueco Alfred Nobel, o inventor da dinamite, resolveu criar uma Fundação que ajudasse no bem-estar da humanidade. Ele inspirara-se nas conversas com sua grande amiga, baronesa Von Suttner, uma pacifista que tinha grande influência sobre ele. Vivia-se a Belle Époque, a era de ouro da Europa, o período que vai de 1871 a 1914, ou seja, o fim da guerra franco-prussiana até o início da Primeira Guerra Mundial. Morto em 1896, aos 63 anos, Nobel não viveu para ver sua obra em ação. A criação...

Saudades de John Lennon out09

Saudades de John Lennon

Quem sabe eu não deveria estar escrevendo sobre as canalhices do mafioso Carlinhos Cachoeira, sobre o ex-vestal Demóstenes Torres, da festa nababesca de 2,5 mil convidados do condenado a trinta e cinco anos de prisão – mas continua solto – Luiz Estevão, da guerra entre os pastores evangélicos e a comunidade gay, do futuro da Venezuela, da bomba nuclear iraniana, do Wikileaks e Bradley Manning, da luta dos estados brasileiros pelos royalties do petróleo, da guerra civil na Síria, da seca no Nordeste e de tantos outros problemas que afligem a humanidade nesse momento! Lembrando que falei do papa no artigo anterior. No entanto, eu...