Eduardo Cunha, nosso Macbeth maio29

Eduardo Cunha, nosso Macbeth

O deputado Eduardo Cunha é um vilão Shakespeariano. Confesso que há muito tempo não via um sujeito, um político, com características tão nítidas de perverso quanto esse parlamentar que produz calafrios no governo e apavora os homens de bem. A sentença de Shakespeare, em Macbeth “As múltiplas vilanias da natureza enxameavam nele”, aplica-se inteiramente ao atual presidente da Câmara dos Deputados. Tenho observado todos os seus movimentos, e posso garantir que se trata de um homem perigosíssimo, dotado de uma capacidade de fazer o mal realmente impressionante e que precisa ser detido urgentemente. Encontro Eduardo Cunha em...

Os Fascistas e as Marionetes maio19

Os Fascistas e as Ma...

  Quase nunca recorro à filosofia para justificar meus argumentos. Primeiro, porque conheço pouco de filosofia e, segundo, porque encontro na obra de Shakespeare conhecimento mais do que suficiente para abastecer meus textos sem precisar recorrer a Platão e Kant. No entanto, dessa vez,...

Os 70 Anos da Segunda Guerra Mundial maio07

Os 70 Anos da Segund...

Sexta-feira, dia 8 de maio de 2015, a humanidade festeja o fim da Segunda Guerra Mundial — o conflito ainda iria até 14 de agosto, no oriente, com os aliados lutando contra o Japão ­— com a rendição incondicional da Alemanha. Durante seis longos anos, mais de cem milhões de soldados...